quarta-feira, 14 de novembro de 2012

MISSIONARIA ELISANGELA - A oração de Neemias e a resposta de Deus



Neemias

Diz apalavra do Senhor que estando Neemias filho de Heucalias em susa a fortaleza veio há ele seu irmão Hanani e alguns de Judá. Neemias então pergunta para eles pelos os judeus que escaparam do cativeiro a cerca de Jerusalém; então responderam que o restante ficou em grande miséria e desprezo e os muros de Jerusalém fendidos e as suas portas queimadas há fogo. E sucedeu que ouvindo Neemias estas palavra assentou-se chorou e se lamentou por alguns dias e jejuando e orando perante Deus, em favor daquele povo. começa Neemias há falar com Deus; Há Senhor Deus dos céus grande e terrível que guarda o concerto com aqueles que te ama e guarda os seus mandamentos.esteja pois atentos os teus ouvidos e abertos os teus olhos há oração do teu  servo que hoje faço perante te de dia e de noite,pelos filhos de Israel teus servos.Neemias então começa sua  oração de uma forma  que mim faz lembrar da oração de Daniel.olha o como  se começa uma oração ; e orei ao Senhor meu Deus grande e tremendo que guarda o concerto e há misericórdia p com os que te ama e guarda os teus mandamentos.pecamos e cometemos iniqüidades e procedemos impiamente e fomos rebeldes apartando-nos dos teus mandamentos e dos teus juízos.essa e oração de Daniel cp. 9 v 4 e 5.agora vamos ver como Neemias começa há sua oraçãocp1 v 5 e 7 .há Senhor Deus dos céus Deus grande e terrível que guarda o concerto com aqueles  que te ama e guarda os teus mandamentos.de tudo nos corrompemos contra ti e não guardamos os teus mandamentos e nem os estatutos nem o juízo que ordenaste a Moises teu servo. Podemos ver que tanto Neemias quanto Daniel, começam sua oração adorando e engrandecendo o Deus todo poderoso e confessando o seu pecado e o pecado do povo de israel. oração de Neemias dirige sua oração somente há Deus. E em sua oração faz então seis pedidos para Deus;

1 ped.; esteja atentos os teus ouvidos.
2 ped.; e os teus olhos aberto.
3 ped.; lembra-te, pois da palavra que ordenaste há Moises teu servo;
4 ped. esteja, pois atentos os teus ouvidos a oração do teu servo e a oração dos teus servos.
5 ped. faz prosperar hoje o teu servo.
6 ped. dai-lhe graças perante este homem orei.

O que mim chama atenção e que Neemias orou no mês de quisleu que p nos representa o mês de dezembro, e só obteve resposta no mês de nisa, ou seja, quatro meses depois, pois nisa representa para nos o mês de abril. Quando foi apresentar-se perante o rei, pois ele era copeiro do rei. Diz a palavra do Senhor que Neemias apareceu tão triste diante do rei a ponto do rei lhe perguntar por que estar triste Neemias se não estar doente?E isso tristeza do coração. Então ele responde para o rei como não estaria triste estando à cidade dos sepulcros dos meus pais fendida e as suas portas queimadas há fogo. o rei então pergunta p ele o que queres.em tão antes de lhes responder ele ora há Deus .e pede se e do agrado do rei  peço te que mim envie ate Judá p que possa edificar a cidade dos sepulcros dos meus pais.o Rei pergunta quanto tempo ele precisa p a edificação dos muros da cidade.assim como Neemias determina para com Deus hoje em quanto tempo você que ele resolva a sua situação.determine pra co Deus e Ele te respondera no tempo determinado. Neemias não contou nada para ninguém o propósito que Deus colocou e seu coração. Um tempo depois os seus inimigos sambalete e Tobias descobrem que alguém se preocupava com o bem do povo de Israel começa então um complô contra Neemias, a ponto de planejarem a morte de Neemias e os outros. Mas não conseguiram, pois sabendo Neemias da conspiração contra eles então oraram ao Senhor e seus inimigos retrocederam. Enviaram ate falsos profetas há Neemias, mas como ele tinha visão de Deus não se Deixou enganar.




segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Rei Salomão

Salomão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto.
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes, inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, nos locais indicados.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Salomão
Rei de Israel
King-Solomon-Russian-icon.jpg
Ícone de Salomão em monastério russo.
Governo
Reinado971 a.C.-931 a.C.
ConsorteFilha do Faraó Siamon
AntecessorDavid
SucessorRoboão
Vida
Jerusalém
Morte932 a.C.
Jerusalém
PaiDavid
MãeBate-Seba
Salomão é um personagem da Bíblia (mencionado, sobretudo, no Livro dos Reis), filho de David com Bate-Seba, que teria se tornado o terceiro rei de Israel, governando durante cerca de quarenta anos (segundo algumas cronologias bíblicas, de 1009 a 922 a.C.).

Índice

Salomão na tradição bíblica

O nome Salomão ou Shlomô (em hebraico:שלמה), deriva da palavra Shalom, que significa "paz", tem o significado de "Pacifico". Foi adicionalmente chamado de Jedidias (em árabe سليمان Sulayman) pelo profeta Natã, nome que em hebraico significa "Amado de Jeová". (II Samuel 12:24, 25)
Idealização do Templo de Salomão
Foi quem ordenou a construção do Templo de Jerusalém, no seu 4.º ano, também conhecido como o Templo de Salomão, levado a efeito por Hiram Abiff, segundo a Bíblia, em Reis e em Crônicas. Depois disso, mandou construir um novo Palácio Real para o Sumo Sacerdote, o Palácio da Filha de Faraó, a Casa de Cedro do Líbano e o Pórtico das Colunas. A descrição do seu Trono era exemplar único em seus dias. Mandou construir fortes muralhas na cidade de Jerusalém, bem como diversas cidades fortificadas e torres de vigia.
Salomão se notabilizou pela sua grande sabedoria, prosperidade e riquezas abundantes, bem como um longo reinado sem guerras. É uma personagem bíblica envolta em muitos mitos e lendas extra-bíblicas. Foi após a sua morte, que ocorre o previsto cisma nas Tribos de Israel, originando o Reino de Judá (formado pelas 2 Tribos), ao Sul, e o Reino de Israel Setentrional (formado pelas 10 Tribos), ao Norte.

Reinado de Salomão

Rei Salomão,filho de David, em seu trono.
Existem diferentes datas para divisão do reino de Israel. Veja isso em Cronologia Bíblica.
Adonias, o filho primogénito de David, proclamou-se pretendente ao Trono e sucessor de seu pai. Segundo os profetas, era da vontade Divina que o sucessor fosse Salomão, filho de David e Bate-Seba. Visto que Salomão não era o herdeiro imediato ao Trono, isso levou a intrigas e conspirações pelos partidários de Adonias. O direito de Salomão ao trono é assegurado mediante ação decidida de sua mãe, do Sumo Sacerdote Zadoque e do profeta Natã, com aprovação do idoso Rei David. Logo que se tornou rei, Salomão eliminou todos os conspiradores e consolidou o seu reinado.
Diferente de seu pai, Salomão não se tornou um líder guerreiro, pois isso não foi preciso. Soube manter a grande extensão territorial que herdara de seu pai. Mostrou, de acordo com a tradição judaica, ser um grande governante e um juiz justo e imparcial. Soube habilmente desenvolver o comércio externo e da indústria, as relações diplomáticas com países vizinhos, o que levou a um progresso considerável das cidades israelitas.
Salomão casou com uma filha de Faraó (Anelise) e recebeu como dote de casamento a cidade cananéia de Gezar. Renovou a aliança comercial com Hirão, Rei de Tiro. Ficou conhecido por ter ordenado a construção do Templo de Jerusalém (também conhecido como o Templo de Salomão), no Monte Moriá. Isto ocorreu no seu 4º ano de reinado, exatamente no 480.º ano (479 anos completos mais alguns dias ou meses) após o Êxodo de Israel do Egipto. (Os historiadores e exegetas bíblicos consideram esta data como artificial, embora haja alguns biblistas que a consideram uma sincronização autêntica.)
Após isso mandou construir fortes muralhas na cidade de Jerusalém, bem como mandou reconstruir e fortificar diversas cidades (como por exemplo, Megido, Bete-Seã, Hazor…) e construir cidades-armazém.
Salomão organizou uma nova estrutura administrativa, dividindo as terras em 12 distritos administrativos governados por funcionários nomeados diretamente pela administração central. No exército, deu especial importância a cavalaria e aos carros de guerra. Dispunha no porto de Eziom-Geber, no Golfo de Aqaba de uma frota de navios comerciais de longo curso, chamados de "navios de Társis".
Segundo I Reis 11:3, Salomão tinha setecentas mulheres e trezentas concubinas, e "suas mulheres lhe perverteram o coração e o seu coração não era perfeito para com o Jeová seu Deus, como o coração de Davi, seu pai".

Divisão do Reino

Com a sua morte, Roboão, seu filho, sucedeu-lhe no trono. Em vez de ouvir o conselho sábio dos anciãos das tribos de Israel para aliviar a carga tributária e os trabalhos compulsórios impostos por seu pai, ele mandou aumenta-los. Isso levou à rebelião das tribos setentrionais e à divisão do Reino em dois novos reinos: o Reino de Israel Setentrional (ou Reino das 10 Tribos, tendo como Rei Jeroboão I), e o Israel Meridional (tendo por capital Jerusalém e como rei, Roboão).

Tradição posterior

A tradição posterior imputaria a Salomão grande sabedoria e ao seu reinado o status de época áurea. Ele é considerado dentro da tradição judaico-cristã, como o homem mais sábio que já viveu até então. A Bíblia nos relata que no seu reinado diversos reis e governantes vinham a Israel fazer perguntas e receber conselhos do Rei Salomão, incluindo a rainha de Sabá. Durante os séculos posteriores, diversas obras de outros autores eram imputadas a Salomão, para dar-lhes valor.

História do Bebê

A Salomão é atribuída a famosa história de que duas mulheres foram ao seu palácio. Duas mulheres tiveram filhos juntos, um dos filhos morreu e a mãe do que morreu, pegou a da outra mãe. De manhã, ela percebeu que aquele que tinha morrido não era seu filho e começaram a discutir. Foram até o palácio do Rei Salomão e contaram-lhe a história. Ele mandou chamar um dos guardas e lhe ordenou: "Corte o bebê ao meio e dê um pedaço para cada uma". Falado isso, uma das mães começou a chorar e disse: "Não, eu prefiro ver meu filho nos braços de outra do que morto nos meus", enquanto a outra disse: "Pra mim é justo". Salomão, reconhecendo a mãe na primeira mulher, mandou que lhe entregassem o filho. 1 Reis 3:16-28

Salomão na tradição islâmica

O Rei Salomão aparece no Corão com o nome de Sulayman ou Suleiman. No Islão, é considerado como um profeta e um grande legislador da parte de Alá .

Salomão à luz da História e da Arqueologia

Até o presente, não há qualquer comprovação ou mesmo indícios significativos capazes de conferir autenticidade histórica à figura do rei Salomão, nem que Jerusalém tenha sido, por volta do século X a.C., o centro de um reino amplo e próspero, conforme descrito no Livro dos Reis. Ademais, tendo sido Salomão um rei famoso por sua sabedoria e riqueza (como mostrado na Bíblia), era de se esperar que seu nome fosse referido por outros povos daquela região, sobretudo pelos fenícios de Tiro, com quem o reino de Salomão manteria intenso comércio. A ausência de quaisquer achados arqueológicos dessa natureza parece indicar que Salomão é, na verdade, o símbolo de um passado glorioso (ainda que legendário) que a maioria dos povos antigos apreciava se atribuir.[1]

Referências

  1. Israel Finkelstein e Neil Asher Silberman, A Bíblia Não Tinha Razão, São Paulo, Ed. A Girafa, 2003

Ver também

O Commons possui uma categoria com multimídias sobre Salomão

Ezequias

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Estátuas de Josafá e Ezequias no Escorial.
Ezequias, do hebraico חִזְקִיָּהוּ, significa, em português "Jeová Fortalece".
O rei Ezequias foi o 13º Rei de Judá.
É considerado um dos maiores reis de Judá por causa da sua confiança em Deus e sua dependência d'Ele. Ezequias, que seguiu o exemplo do seu brilhante antepassado, o Rei Davi, teria começado a reinar com 25 anos de idade e governou por 29 anos, a partir de 715 a.C.
Sua mãe chamava-se Abi, filha de Zacarias.
Ezequias era um homem de muita fé. Guardava os mandamentos da lei mosaica e exortava o povo a desviar-se do pecado e se aproximar de para Deus.
Resquícios do muro construído em Jerusalém por Ezequias, como proteção ao ataque de Senaqueribe.
No início do seu reinado, Ezequias reparou e purificou o templo. Reintegrou os sacerdotes e levitas ao seu ministério, e restaurou a celebração da Páscoa (II Crônicas 29:3 e 30:5). Além disso, combateu a idolatria em Judá proibindo o culto aos deuses pagãos, determinando também que fosse destruída a serpente de bronze construída na época de Moisés, pois o povo estava adorando-a. E, devido à sua obediência, a Bíblia relata que Deus trouxe paz ao seu reino enquanto cuidou do templo providenciou a adoração adequada.
De acordo com a Bíblia, Ezequias, ao ser confrontado pelo rei da Assíria, Senaqueribe, orou a Deus e foi salvo do cerco de Jerusalém (por volta do ano 701 a.C.), em que um anjo teria exterminado cento e oitenta e cinco mil soldados assírios durante a noite.
Após a expulsão dos assírios, Ezequias experimenta um novo milagre também relatado na Bíblia. Tendo adoecido gravemente, o profeta Isaías veio lhe dizer que iria morrer. Não se conformando, Ezequias pôs-se a orar e Isaías retorna com outra mensagem de Deus informando um acréscimo de mais 15 anos à vida do rei. E, como prova do cumprimento dessa palavra, Deus deu um sinal a Ezequias, fazendo atrasar dez graus a sombra do relógio solar construído por Acaz.
Tendo se recuperado, Ezequias cometeu um sério equívoco ao mostrar os seus tesouros aos mensageiros da Babilônia. Devido a isso, Ezequias foi advertido pelo profeta Isaías, prevendo o futuro cativeiro dos judeus, o que ocorreu numa invasão de Nabucodonosor, no reinado de Zedequias.

Referências

  • II Reis 18:3-6; Isaías 38:1-22 II Crônicas 30-6:9.

Ver também

Marcos 16:15 15 - E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura.

Marcos 16:15 15 - E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura.
Banco do Brasil, Agencia 1301-3 conta 43184-2 Titular Devaldo Lemos da Costa (Conjuge)